Preço dos serviços

Preço dos serviços

O preço dos serviços a serem cobrado dos clientes mensalmente, deve ser suficiente para cobrir valores a seguir, que fazem parte dos custos e despesas do escritório, além de gerar uma margem de contribuição, que deduzidos os gastos fixos, resultará no lucro desejado pelos proprietários do negócio. Isso não se consegue sem uma analise-se mínima da realidade de cada caso. Não basta olhar para o seu concorrente, é indispensável que cada escritório veja a sua realidade da composição dos seus custos e seus objetivos de rentabilidade.

O gestor do escritório precisa identificar a composição dos seus custos fixos e variáveis, bem como definir parâmetros de remuneração adequada para obter um bom retorno e continuar competitivo no seu mercado. Isso exige um mínimo de controle e uso de ferramentas adequadas a sua realidade.

São esses os valores a serem cobertos mensalmente pela receita do escritório contabil, obtida a partir do preço dos honorários cobrados dos clientes:

a) os custos variáveis , aqueles especificamente vinculados a prestação dos serviços, que podem ser identificados e alocados diretamente a cada cliente;

b) os custos fixos ou indiretos mensais que, embora façam parte da prestação dos serviços, não podem ser especificamente identificados, nem alocados diretamente para cada cliente;

c) as despesas variáveis incidentes sobre o preço final dos serviços, tais como impostos sobre o preço dos serviços, comissões ou participações de parceiros sobre o preço, percentual de seguro de responsabilidade civil, quando calculado sobre os honorários;

d) as despesas fixas mensais da área administrativa do escritório que além de não fazerem parte diretamente da prestação dos serviços, obviamente, também não podem ser identificadas, nem alocadas diretamente em nenhum dos clientes;

e) a margem de contribuição, uma espécie de “lucro bruto” representada por um percentual sobre o preço dos honorários contabeis, e que deverá ser suficiente para pagar as despesas e os custos fixos indicados nos itens “b” e “d” acima, e ainda sobrar um resultado positivo, que é o lucro líquido do negócio.

Cada cliente ou contrato deve gerar sua margem de contribuição específica, podendo o gestor estabelecer um percentual  ou valor financeiro de margem igual ou diferente para cada cliente. O importante é que o somatório das margens de contribuição mensais de todos os clientes, seja superior a todos os custos e despesas fixas e ainda sobre um valor positivo adequados aos interesses do escritório, que em última análise constitui o lucro líquido e a rentabilidade do negócio.

Compartilhe

Contate-nos

Será um prazer atender você